Guias

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Limite de velocidade polêmico

Foi com espanto que recebi a notícia do novo limite de velocidade para as viaturas policiais que circulam na capital cearense no projeto denominado "Ronda do Quarteirão". A medida adotada pela Secretaria de Segurança está causando (pasmem!) polêmica e antipatia na própria população com a redução do limite para os 50km/h. A justificativa dada é para que se reduza os diversos acidentes gerados por essas viaturas tipo Hilux de aproximadamente R$150.000,00/cada. Outro argumento é a própria segurança de transeuntes e ciclistas quando em rota de colisão durante as perseguições a bandidos na capital alencarina. A perseguição policial em viaturas se torna assim proibida de agora em diante no trânsito de perímetro urbano, e toda e qualquer ação que exija maior velocidade terá de ser autorizada por uma central. As ações de cerco policial terão que ser agora mais inteligentes com o apoio das outras unidades, aliás são mais de uma centena desses super-carros de policiamento. Muito bem, as autoridades por um lado estão dessa forma admitindo que velocidades acima dos 50km/h no perímetro urbano é o grande problema na causa dos acidentes e, obviamente, admitem que guiadores sem treinamento adequado são fatores de risco para nós pedestres e ciclistas...então?!!!... por que não estender tal medida para todos os veículos particulares e assim reduzir por vez o número de óbitos e pacientes em hospitais vítimas de motoristas despreparados e automóveis vorazes que circulam à caça de suas presas urbanas? Numa análise mais detalhada não acredito que a medida adotada esteja diretamente ligada ao benefício de pedestres e ciclistas, entretanto, é algo importante que se deve avaliar com o tempo e utilizar tais informações estatísticas aos futuros gerentes de trânsito do país numa redução definitiva da velocidade para todos os automóveis particulares! 

Fonte:  http://www.opovo.com.br/app/opovo/fortaleza/2010/11/05/noticiafortalezajornal,2060442/viatura-do-ronda-nao-pode-passar-dos-50-km-h.shtml

5 comentários:

enio PAiPA disse...

Djanilson... Fazia tempos que não passava por aqui, e quando entro, vejo essa maravilhosa (ou não) notícia do meu querido CEARÁ...

Justificando, maravilhosa por que pelo menos as autoridades policiais da RONDA irão olhar o trânsito de outra forma. Nem tão maravilhosa, pois quando houver uma perseguição, o risco de pedestres e ciclistas aumentam consideravelmente.

A cidade de Fortaleza é vigiada pelos famosos "Pardais" (foto sensores) em quase todos os grandes cruzamentos e nas avenidas de de grande circulação. A velocidade máxima permitida nesses radares são de 60km/h, então, acho que isso já inibe e muito o trânsito rápido de veículos particulares. Confesso que se mudassem os radares para 50km/h, ia ser um caos. Não tou defendendo os carros, mas penso no transporte coletivo, já que não há diferença nas vias entre carro e busão...

Estive em Fortaleza em JUL e padelei por lá... Os motoristas de lá são terríveis... Não respeitam nem uns aos outros, imaginem os ciclistas (que são um número considerável).

Acho que Fortaleza, precisa de uma CULTURA NOVA no trânsito. Coisa que Recife também precisa URGENTE!!!

Já me alonguei por demais... Grande abraço!!!

DJANILSON disse...

Olá Enio, também sou fã de Fortaleza. Aliás, morei por lá uns 30 anos e me sinto meio cearense. Eu acredito que a redução na velocidade máxima permitida para automóveis,ainda é a melhor solução para todos. Claro, o transporte coletivo precisa estar livre dessa medida mas com corredores especiais...isso sim funciona melhor! Um abração meu caro!

Rogério Leite disse...

Enio/DJ, ao contrário do que se pensa, reduzir a velocidade máxima não piora o tráfego. Os americanos que são bons de estudos estatísticos têm um manual de construção de ciclovias e ciclofaixas que inclui estudos sobre o efeito delas sobre o trãnsito. Nele recomendam velocidades máximas em torno de 40 km/h como a ideal para um fluxo contínuo. Dentro da cidade, de nada adianta potência se tem uma esquina atrás da outra! Manter uma velocidade mais baixa, mas o fluxo constante, garante segurança e mobilidade a todos! Se quiserem lera mais, tenho um post sobre o assunto aqui http://pedalandoeolhando.blogspot.com/2009/11/ciclovias-reduzem-engarrafamentos-vc.html e lá tem acesso ao manual (em inglês)! Quanto ao caso Fortaleza e HILUX, acho que o problema é a manutenção delas que fica proibitiva quando começam a sofrer amassões e danos em perseguições! Aliás, coisa que o administrador que COMPROU as hilux DEVERIA ter pensado antes de comprar! Ou PEN$$$OU, né não?

DJANILSON disse...

Rogério, concordo plenamente. Acredito que a verdade sobre a redução na velocidade dessas Hilux está maquiada. Alí tem enganação, erros administrativos, despreparo com a coisa pública, etc... mas tem o lado bom também...vamos aguardar o resultado!

enio PAiPA disse...

Rogério,
É fato que diminuir velocidade não atrapalha tanto o trânsito. Mas isso é uma questão para daqui (quem sabem) a uns 15 anos nas avenidas brasileiras. Falta muita cultura! Lá em Fortaleza, os 60km/h dos radares não impedem que depois que se passe deles, o motorista não suba pra 80~100km/h (eu faço isso!). Lógico que se tivéssemos a cultura de andar nos limites de velocidade máxima permitida, seria um trânsito bem mais harmônico e saudável. O CTB já fala limites de velocidades para cada tipo de av./rua etc. Não precisamos discutir isso, e sim a CULTURA/EDUCAÇÃO no trânsito.

Quanto a Hilux... Muita gente achou absurdo. Eu não! Acho que a polícia deve ter carros descentes. Aqui em PE é ridiculo ver essas Paratis e Pick-up S-10 caindo aos pedaços. E se for pensar em $$, não há roubou maior do que aqui em PE, onde 95% da frota policial é ALUGADA.. É uma piada!!!