Guias

domingo, 12 de dezembro de 2010

Quanto mais ciclistas nas ruas, menos acidentes com carros!

Embora me baseie em um estudo realizado há dois anos pela University of New South Wales em Sidney, Austrália, , é na realidade uma pesquisa atualíssima pelos objetivos e fatos ora verificados no mundo inteiro. Parece paradoxal, mas o aumento no número de ciclistas circulantes nas ruas e avenidas de nossas cidades diminui sensivelmente a estatística de mortes e acidentes provocados por colisões entre veículos motorizados. Numa cidade que eleva em duas vezes o número de ciclistas, haverá redução de cerca de um terço de sinistros ocasionados por veículos automotores. Isto não se deve pela redução de carros, mas pelo comportamento a ser adquirido por motoristas que passam a observar mais atentamente o seu modo de dirigir quando estão mais ‘cercados’ de ciclistas e pedestres. Outro paradigma gerado é o maior incentivo para que mais motoristas deixem seus carros e passe a utilizar a bicicleta como transporte. Para os realizadores desse estudo, é importante que os governantes focalizem os benefícios da bicicleta em relação à saúde, meio ambiente e também ao lazer. A abordagem sistemática de requerer apenas a segurança para ciclistas funciona de maneira negativa e colabora não incentivando o aparecimento de novos ciclistas por uma razão muito simples: a criação do medo em toda a sociedade em torno da bicicleta.    

2 comentários:

Rogério Leite disse...

dj... remeti o link para o coordenador do Grupo de Trabalho das CICLOVIAS METROPOLITANAS na Secretaria das Cidades, tanto o seu quanto o do artigo original. Quem sabe ajuda! Isso vem sendo batido e rebatido tem tempo. Eu mesmo noto isso. Mas te confesso que desconfio se as nossas "mulas" motoristas seriam capazes de perceber e cuidar da gente enquanto ciclistas. Acho que precisa tb conscientizar a todos, campanha maciça pra fazer a cabeça dos motoristas... E concordo com vc, sobre a historia do medo. Nada de ficar cobrando apenas segurança para o ciclista. Pedalar é seguro, muito mais do que andar ou usar a moto (dados da ANTP, mostram que se morre mais como pedestre ou motociclista que como ciclistas, e a diferença é absurda!)...

DJANILSON disse...

Sua iniciativa é ótima, espero que nossos esforços jamais sejam em vão! Minha experiência mostra que esse comportamento do motorista é uma realidade mesmo! Qdo morei na capital alencarina, observei que o crescimento de carros e a "diluição' de ciclistas proporcionou mais desrespeito por parte dos motoristas por se sentirem a maioria esmagadora. Qdo aqui cheguei em Mossoró há 12 anos, a realidade era outra. Muitas bicicletas e motocicletas se espalhavam pela cidade e isso dava um certo 'medo' em grande parte dos motoristas, mas hoje a coisa tá mudando com o aumento absurdo de carros...minha esperança é que se abram os olhos para o crescimento absurdo da violência, inclusive, do trânsito!