Guias

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Renuncie à violência no trânsito!

Quem enfrenta o trânsito diariamente em qualquer parte do mundo sabe que não é fácil lidar com a diversidade de temperamentos dos condutores de automóveis e motocicletas. Facilmente encontramos casos divulgados na mídia sobre atritos, e até mesmo homicídios, gerados por discussões fúteis e intempestivas por causa do trânsito. A violência está adormecida em cada um de nós e uma pequena fagulha na hora errada pode levar a uma explosão bestial de comportamento tolo, inútil e impensado. O ciclista, por sua fragilidade, é vítima constante de empurra-empurra para fora do circuito dos motores que se acham donos exclusivos das vias urbanas. O pedestre também é vitima sim, mas ainda lhe resta a calçada como refúgio. A bicicleta tem que enfrentar e pronto! Afora os acidentes passíveis, ainda estamos sujeitos à conduta desrespeitosa e amoral dos condutores em suas armaduras modernas. A descarga dos frustrados pós-modernistas se dá através de simples buzinadelas, gestos obscenos, insultos ou palavrões. Podemos lidar de diferentes formas, inclusive a indiferença, mas isso exige um estado de espírito treinado para enfrentar essas situações. Quando a situação se dá em pleno movimento é muito mais fácil abster-se do confronto, embora o sentimento de indignação seja notavelmente mais amargo. Entretanto, quando tudo gira em torno do trânsito parado é melhor estar preparado para o pior e respirar fundo antes de qualquer palavra ou atitude. Tratá-los com silêncio ou com respostas frias ainda é a melhor saída. No silêncio ou com respostas tranqüilas eles se sentem tolos porque estão à procura de conflito e se não lhe dermos a energia que precisam serão fatalmente desarmados. Se estiverem com raiva, certamente não vão admitir que você tem razão. E tem mais, sua integridade física deve estar em primeiro lugar. Afinal quem você pensa que é para consertar o mundo....num dá né!? Uma discussão boba só vai lhe trazer mais frustração. Portanto, deixe-o levar para longe toda aquela raiva e angústia. Fique com uma simples indignação que será bem melhor de cura! Ahhh... se você for o errado nessa história do trânsito, levante sua mão e reconheça seu erro com um pedido de desculpas. Tudo isso tem dois motivos: é bom para seu ego e vai deixá-lo longe das páginas policiais.

2 comentários:

Rogério Leite disse...

Pior DJ é que mesmo vc tratando-os da forma que vc sugeriu ainda se encontra uns tapados que reagem violentamente ao tratamento, e te perseguem com o carro por ignora-lo ou não dá corda a agressividade dele. Lembro sempre do Michael Doglas em UM DIA DE FURIA, que o cara pirou na batatinha com nada... Nos dias de hoje, é bom andar sempre com seus negócios em dias, sua via arrumada, os seus protegidos, porque ninguém, motorista, ciclista ou pedestre, sabe se volta para casa a noite! E rezar para manter o espírito pronto!

DJANILSON disse...

É bem verdade! O que nos resta é mesmo rezar para não cruzarmos com tantos bandidos e paranóicos à solta!