Guias

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Responsabilidades do ciclista

Nem seria necessário avisar sobre as regras presentes no Código de Trânsito Brasileiro para se ter idéia do que deve ser respeitado pelo ciclista. Embora se reconheça as más condições e planejamento de ruas e avenidas do país, isso não deve ser motivo para que haja tanto desrespeito aos demais usuários do trânsito. O que se observa regularmente é o comportamento relapso de uma grande maioria dos usuários de bicicleta em circulação nos diversos pontos aqui da cidade. Essas atitudes influenciam negativamente a opinião pública em geral e acaba se estendendo para todos os outros. Muito pouco, ou quase nada, se faz para que se reverta essa situação. Não é difícil encontrar motoristas e até pedestres que se acham incomodados com os ciclistas oportunistas do trânsito livre, muitos se acham acima da lei ou esquecidos por ela. Não é bem assim! Seria interessante que se criasse uma logística com um projeto de mais atenção ao ciclista que abrangessem os mais diversos setores envolvidos no trânsito: câmara municipal, gerência de trânsito e toda a rede de peças e serviços, pois todos são responsáveis. Antes disso, muito bom seria o reconhecimento do que é moral e não apenas legal. Em Londres, por exemplo, o governo e a rede de comércio de bikes se unem na criação de cursos voltados ao respeito para circulação por vias e avenidas da cidade. Veja algumas das irregularidades que são passíveis de punição com multa por lá: Ultrapassar sinal vermelho, circular após ter ingerido bebida alcoólica, circular sobre calçadas, circular pela contramão, ultrapassar o limite de velocidade, circular ouvindo mp3 ou atendendo celular, participar de ‘racha’ em bicicletas, etc. Então, muito do que se vê por aqui não está nem no plano legal, mas todos deveriam considerá-los, pelo menos, no seu plano moral de respeito a si e aos outros.

2 comentários:

Rogério Leite disse...

dj.. tenho pensado e comentado muito sobre este assunto. Observo que o ciclista mais consciente é aquele que tem a CNH, que frequentou o curso de direção, fez prova no Detran, etc. Ele como motorista, tem as informações: ignora-as se quiser. Eu tenho, ignoro de vez em quando, mas sempre com muito cuidado, atenção e uma grande quantidade culpa por estar fazendo algo errado. Muitos, acredito, fazem porque nunca foram informados que não podem. Tratam a bike como uma extensão de suas pernas. E se o pedestre aqui no Brasil não respeita nem as faixas nem os carros, o ciclista faz a mesma coisa, achando que "é assim mesmo"! Acredito que para isto mudar teremos de: 1- oferecer infraestrutura para ele usar; 2- veicular campanhas educativas em todas as mídias e espaços frequentados por eles; e 3- estabelecer algum tipo de multa ao ciclista por má condução da bicicleta na via pública. Como as bikes não tem registro legal, o ciclista teria de andar com a identidade e o comprovante de endereço. Se pego fazendo besteira, tomaria uma multa fixa, tipo R$ 50,00. Para uma pessoa rica, não seria nada, mas estes dirigem e ficam como eu ao pedalar errado. Os menos favorecidos, teriam a multa pendurada no SERASA, ou em outro orgao, qq. Claro precisaria estudar melhor a coisa da multa, mas se os dois pontos 1 e 2 fossem adotados, já melhoraria bastante!

DJANILSON disse...

Rogério, minha opinião é que pode haver uma parcela não esclarecida quanto ao Código de Trânsito, no entanto, acho que o bom senso prevalece na cabeça da grande maioria para discernir sobre os perigos da contramão, do semáforo vermelho, da bebida alcoólica...Multa é coisa que ajuda mas não resolveria, estrutura e educação sim.