Guias

domingo, 19 de setembro de 2010

Princípios que incentivam a bicicleta!

Recentemente foi gerado um debate entre amigos sobre como fazer uma política pública voltada em favor do uso da bicicleta. Cada um apresentou idéias interessantíssimas embora muitas vezes divergentes. Depois de tantas sugestões e contradições imaginei algo com base nessas idéias, mas que ainda estão distantes da realidade política de hoje. Dois questionamentos se harmonizam em qualquer pensamento pró-ciclismo: O primeiro deles é que todos têm por objetivo aumentar a segurança para o usuário, e o segundo é como aumentar a quantidade de pessoas que optem pelo seu uso diário. Bom, os benefícios óbvios para os praticantes não são conhecidos pela população, os perigos a que se submetem os ciclistas são hiper-dimensionados pelos que não usam a bicicleta e, por fim, não ocorrem incentivos e vantagens para os que optam pela bicicleta no seu uso cotidiano. Todo esse complexo quebra-cabeça se baseia em uma solução política revolucionária lenta e de longo prazo. Creio que os primeiros sinais de mudança poderão vir a partir de três ações básicas geradoras de outras tantas. Nesse tripé estão medidas de segurança, utilização e mídia. O fator segurança requer medidas corajosas que diminuam a velocidade dos carros nas áreas urbanas, campanhas educativas sistemáticas de comportamento no trânsito dirigidas aos diversos usuários conforme seu veículo de uso e agregar no currículo escolar do ensino fundamental ao médio a educação no trânsito. A conscientização de mais utilização está diretamente ligada à área estrutural das cidades e isso depende de recursos governamentais que poderiam promover a integração dos serviços de transportes coletivos com a bicicleta, desenvolvimento de melhorias no sistema de bicicletários e outros modelos de estacionamento, elaboração e distribuição de rotas que facilitem o trajeto dos diversos usuários que estão pedalando para o lazer ou trabalho e planejamento de medidas antifurtos que garantam a propriedade individual. Na mídia é preciso que se mostre o lado bom de pedalar ressaltando os benefícios para a saúde e ao meio ambiente com redução de gastos quando se deixa o carro em casa  em viagens que são melhor aproveitadas com o uso da bicicleta. Esses principios bem que poderiam estar sendo aplicados pelos novos governantes já a partir de janeiro de 2011.

2 comentários:

Rogério Leite disse...

Olhe DJ, acho eu que usar a bicicleta, mostrar, dar exemplo, não ligar para o que dizem, defender o conceito quando der. "mais tem engarrafamento, né? tá demais mesmo!? Não se pode ir a lugar algum sem um! Perdendo o dia todo na rua"... E POR AI VAI...e em seguida, a sua contrapartida: "EU NÃO! Nunca mais! Faz tempo que não tenho problemas de tráfego, não me atraso, não me estresso? VOU DE BIKE." E pronto! Basta usar, nem precisa brigar, nem precisa defender, basta usar e dizer que usa, que vc acha seguro, que vc nunca viu as dificuldades que falam, que vc vai a todo lugar com a bike. Usar, usar e usar... Mais e mais pessoas vão perceber. Mais e mais vão começar a usar, e nunca mais vão largar. Como digo a quem pergunta, EXPERIMENTE POR UM MÊS, E VOCÊ VAI QUERER SABER PORQUE DEMOROU TANTO A ADERIR! E vamos pedalando!

DJANILSON disse...

Sem dúvida, precisamos estar sempre a postos para que conheçam um exemplo! Pedalando, pedalando.