Guias

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Experimente pedalar!

A simplicidade da vida se traduz por atitudes que se situam abaixo das propagandas mercadológicas, e isso jamais vai gerar divulgação nos mais diversos jornais, revistas ou canais de televisão. Se a lógica do consumismo é o lucro, a bicicleta e seu uso sempre estarão fora dos planos capitalistas que se preocupam unicamente com seu bolso. A utilização da bicicleta está associada aos conceitos mais simples da física mecânica e impele o usuário a desfrutar de um estado de espírito único. Pedalar associa o movimento corporal suave com a paisagem ambiental sem agressão ao corpo ou ao meio em que está inserido. Pedalando sentimo-nos como é ser o que é, e nos retiramos da órbita do que se precisa ter. Para quem ainda jamais aprendeu a pedalar, essa é a hora. Só uma atitude gera novas perspectivas ou mudanças, não se permita inúmeras desculpas entre a realidade e o sonho de transformação. Bicicletas antigas ou modernas, baratas ou caras, bonitinhas ou bonitonas, todas permitem o conceito de liberdade e dinâmica corporal que promovem um bem-estar espiritual ímpar. Mudança de hábitos ou de novos olhares envolve coragem e amor a si próprio, portanto sinta-se à vontade para realizar suas próprias escolhas e experiências. Aprecie mais a natureza, coloque pra fora o sorriso em coisas simples, sonhe mais com sua qualidade de vida, encare suas decisões e nunca desista de admirar o que está além das montanhas. Apaixone-se por uma bike sem preconceitos e explore suas utilidades, essa relação de amor vai te dar alegrias que o dinheiro não compra!

Um comentário:

Alex Lume disse...

Essa questão da bicicleta, ou o pedalar, ter o caráter de transcender para "além da montanhas"; é um processo lento em muitos, em outros rápido... às vezes pode nem ocorrer...
(você, a bicicleta, a estrada: um mecanismo.)

vlw!